Morro do Chapéu

Rapel, mountain bike, trekking, trilhas com obstáculos e exploração de cavernas são algumas das muitas possibilidades de esportes radicais que podem ser praticados em Morro do Chapéu, na Chapada Diamantina. Uma das maiores concentrações de orquídeas por metro quadrado na Bahia também está em Morro do Chapéu, que exibe um imenso jardim natural, descoberto há algumas décadas pelo paisagista Burle Marx. Como se não bastasse, por aqui também andou o naturalista alemão Augusto Ruski, pesquisando o colibri dourado, uma espécie rara de beija-flor presente na região.

Os atrativos naturais de Morro do Chapéu oferecem inúmeras possibilidades para a prática do turismo ecológico, de contemplação e aventuras radicais.

Destacam-se as cachoeiras do Ferro Doido, do Agreste, do Ventura, Domingo Lopes, a Fonte Termal do Tareco, o buraco do Possidônio, a vila do Ventura, o Centro de Pesquisas Ufológicas, a Cidade das Pedras, as grutas da Igrejinha, do Cristal, da Boa Esperança e, muito especialmente, a gruta dos Brejões, situada na Área de Proteção Ambiental – APA dos Brejões/Vereda do Romão Gramacho.

A cidade, a 1.012 metros de altitude, está ligada à história do coronelismo e do ciclo do diamante na Bahia; oferece um clima dos mais agradáveis, com uma média anual de temperatura em torno de 20ºC, e possui razoável infra-estrutura turística. Entre os atrativos, dentro do perímetro urbano, destacam-se os estilos arquitetônicos de edificações como a igreja Matriz de Nossa Senhora da Graça, de 1834, a capela de Nossa Senhora da Soledade, de 1911 (construída por Dias Coelho, o mais ilustre dos coronéis de Morro do Chapéu), a prefeitura municipal, do século XIX; e a casa do padre Magalhães, também do século XIX.

A sede do Centro de Pesquisas Ufológicas, sede do Círculo de Pesquisa Porto Cristal de estudos ufológicos, fica à margem da BA-052 e se destaca das outras construções por apresentar, logo na entrada, a réplica de um disco voador. Aí, o visitante poderá inteirar-se das últimas novidades observadas sobre OVNIs e ETs, com Alonso Valdi Régis, que dirige o Centro. Nas imediações também pode ser visitado o orquidário do Projeto Natureza, onde o irmão marista Delmar desenvolve um trabalho de educação ambiental com menores carentes.
Como será:
Rapel, mountain bike, trekking, trilhas com obstáculos e exploração de cavernas são algumas das muitas possibilidades de esportes radicais que podem ser praticados em Morro do Chapéu, na Chapada Diamantina. Uma das maiores concentrações de orquídeas por metro quadrado na Bahia também está em Morro do Chapéu, que exibe um imenso jardim natural, descoberto há algumas décadas pelo paisagista Burle Marx. Como se não bastasse, por aqui também andou o naturalista alemão Augusto Ruski, pesquisando o colibri dourado, uma espécie rara de beija-flor presente na região.
Os atrativos naturais de Morro do Chapéu oferecem inúmeras possibilidades para a prática do turismo ecológico, de contemplação e aventuras radicais.

Destacam-se as cachoeiras do Ferro Doido, do Agreste, do Ventura, Domingo Lopes, a Fonte Termal do Tareco, o buraco do Possidônio, a vila do Ventura, o Centro de Pesquisas Ufológicas, a Cidade das Pedras, as grutas da Igrejinha, do Cristal, da Boa Esperança e, muito especialmente, a gruta dos Brejões, situada na Área de Proteção Ambiental – APA dos Brejões/Vereda do Romão Gramacho.

A cidade, a 1.012 metros de altitude, está ligada à história do coronelismo e do ciclo do diamante na Bahia; oferece um clima dos mais agradáveis, com uma média anual de temperatura em torno de 20ºC, e possui razoável infra-estrutura turística. Entre os atrativos, dentro do perímetro urbano, destacam-se os estilos arquitetônicos de edificações como a igreja Matriz de Nossa Senhora da Graça, de 1834, a capela de Nossa Senhora da Soledade, de 1911 (construída por Dias Coelho, o mais ilustre dos coronéis de Morro do Chapéu), a prefeitura municipal, do século XIX; e a casa do padre Magalhães, também do século XIX.

A sede do Centro de Pesquisas Ufológicas, sede do Círculo de Pesquisa Porto Cristal de estudos ufológicos, fica à margem da BA-052 e se destaca das outras construções por apresentar, logo na entrada, a réplica de um disco voador. Aí, o visitante poderá inteirar-se das últimas novidades observadas sobre OVNIs e ETs, com Alonso Valdi Régis, que dirige o Centro. Nas imediações também pode ser visitado o orquidário do Projeto Natureza, onde o irmão marista Delmar desenvolve um trabalho de educação ambiental com menores carentes.
Sua historia:
Os primeiros a penetrar nas terras da Chapada Velha perceberam de distante um monte com forma de chapéu, logo começaram a chamar o Morro do Chapéu, este, sendo hoje o Morrão que tem uma atitude de 1.293m acima do nível do mar, e que é o ponto mais alto deste município.

As primeiras explorações no território do município foram realizados pelos Jesuítas, os Bandeirantes também passaram por essa terra.

Lendárias são as notícias das passagens de Muribeca o descobridor das minas de prata e de Rogério Dias pelas terras de Morro do Chapéu. Diversas historias afirmam que, em 1551, quando os Jesuítas exploram as matas do Sincorá, por conseguinte as cabeceiras do Paraguaçu, foi explorado o rio que deram o nome de Riachão de Utinga e, dado ser zona fertilíssima, fixaram alguns exploradores fazendo plantações. Entretanto o principal e definitivo fator do povoamento do município foi a concessão de grande área de terra ao 6º Conde da Ponte João Saldanha da Guerra de Mello e Torres, por Dom Fernando José de Portugal, com a finalidade de promover o povoamento, a partir daí foram fundadas as segundes fazendas: Morro ( Conhecido hoje por Morro Velho, lugar onde ouve a 1º missa ), Olho D’água, Canabravinha, Tapera, Santo Antônio, São Rafael, Jaboticaba, Morrinhos e Gurgulha. Um dos colonos Manoel Ferreira dos Santos,dquiriu terras 6º Conde da Ponte e, com seu filho Antônio, José e Domingos e José Joaquim Cardoso, fundaram a Fazenda Gameleira. Contudo o maior colonizador de então Antônio Guedes de Brito que possuía 160 léguas de terra, contadas de Morro de Chapéu até as águas do rio das velhas. Em 1724 conforme diz Luiz Santos Vilhena, quando se iniciou a exploração de ouro na freguesia de Jacobina, já se desenvolvia a criação de gado no território do atual município. Em 1795 chegou à Fazenda Morro o Missionário Capuchinho Frei Clemente Adorno, aí iniciou a catequese. Por iniciativa de Frei Clemente Adorno, foi edificada uma capela na Fazenda Gameleira, pertencente a Antônio Ferreira dos Santos, o qual contribuiu muito para a edificação da capela de Nossa Senhora de Graça, doado um terreno como patrimônio, onde hoje situa-se a Igreja Matriz. Em 1823, a população aumentou devido os portugueses, refugiados da perseguição dos nacionais, resultante das lutas da independência do Brasil, os quais estabeleceram fazendas de gados.

A capela acaba de construir em 1834, foi elevado a freguesia por lei provincial n.º 67 de 1º de Julho de 1838, sob o orago de Nossa Senhora da Graça, desmembrada da freguesia de Santo Antônio de Jacobina, sendo seu primeiro vigário o Padre Francisco Gomes de Araújo. Naquela data, também, o povoado passou a chamar Morro do Chapéu à categoria de Vila e Município, formado pelas freguesia de Nossa Senhora da Graça e de Mundo Novo. Pela lei estadual n.º 751 de 08 de Agosto de 1909 a Vila Morro do Chapéu foi elevada a categoria de Cidade.
Como chegar:
A sede está localizada a 386 km de Salvador pela BA-052 (Estrada do Feijão). As opções de acesso são: de carro, aproximadamente 4 horas de viagem ou através da empresa de ônibus Águia Branca, que tem horários diários em ônibus comerciais, semi-leitos e leitos, com ar condicionado; a viagem dura, em média, 6 horas.
O que fazer:
Cachoeiras

Cachoeira do Ferro Doido
Situada a 18 km da sede, chega a alcançar no seu ponto mais alto 98m de altura; leva-se 2 horas para percorrer as três trilhas.

Cachoeira do Agreste
Formada pelo rio Jacuípe, depois que recebe as águas do rio Preto. A principal queda d’água tem aproximadamente 50 metros de altura, seguida de uma bacia que se precipita em um canal formando poços profundos, onde já se explorou diamantes. A trilha, de aproximadamente três quilômetros até a queda principal, margeia o rio, onde existem várias praias, pequenas quedas d’água e uma flora diversificada com pés gigantes de orquídeas de cerca de um metro de altura e plantas carnívoras, devoradoras de insetos. O acesso à cachoeira do Agreste fica a 17 quilômetros de Morro do Chapéu, pela BA-426, em trecho asfaltado. A partir daí, dobra-se à direita, em direção ao povoado de Flores, numa estrada secundária, por 8,5 quilômetros.

Cachoeira do Ventura
Localizada a 36 km da sede, possui 35m de altura e seu leito é formado de arenito. O passeio nesta cachoeira pode durar todo o dia.

Cachoeira Domingos Lopes
Formada pelo rio Jacuípe, fica a 26 km da sede e mais 13 km em estrada de cascalho. A cachoeira forma um belíssimo lago, ótimo para banho.

Fonte Termal do Tareco
Fica a 36 km da sede, sendo 29 km de asfalto. Possui duas fontes em forma de piscina, utilizadas para banho. Sua água apresenta PH8, de cor límpida e é muito indicada para o tratamento de doenças de pele. Existem no local fontes de água mineral destinadas ao consumo.

Grutas

Gruta dos Brejões
Maior atração natural de Morro do Chapéu, está situada a 186 km da sede na Serra das Araras. Sua entrada principal mede 123 m de altura, 60 m de largura e 7.800 m de comprimento; possuí inúmeros salões e é cortada pelo rio Jacaré. Segundo o Museu Geológico da Bahia, setor de espeleologia, em relação às maiores cavernas brasileiras, esta gruta é a 4ª maior do Estado e a 6ª do Brasil. Recomenda-se o passeio somente se for para passar a noite acampando, dentro ou fora da gruta, pois o local é distante, não possuindo hotéis ou pousadas nas proximidades.

Gruta da Boa Esperança
Localizada a 53 km ao sul de Morro do Chapéu, possui uma cavidade que é considerada especial devido à existência de um painel de pinturas rupestres. Um altar no centro denuncia atividades religiosas. O abrigo foi usado para sacrifícios humanos em décadas passadas, pois acreditava-se que, assim procedendo, pedras transformar-se-iam em ouro e diamante. A duração do passeio é de aproximadamente 4 horas, existindo um lago ótimo para um mergulho, dentro da gruta.

Gruta do Cristal
Acesso pela rodovia Morro do Chapéu – Bonito até o distrito de Arizona (Catuaba); estrada de cascalho para Cafarnaum, por 2 km; desvio à direita, por estrada secundária, por 1,5 km. Esta gruta abrange quatro cavidades denominadas Cristal I, Cristal II, Pé de Manga e Dolina (Buracão IV). A Gruta do Cristal I, possui 3.000m de extensão é a mais importante. A altura varia de 1 a mais de 30 m.

Gruta da Igrejinha
Localizada a aproximadamente 115 km da sede, pela BA-052. Acompanha o curso do rio Jacaré em rochas calcárias, com cerca de 45 m de altura e 300 m de extensão. Iluminação natural com alguns trechos em penumbra. Na entrada da gruta, o rio forma cristalinos limitados por pedras verticais. No interior da gruta existe uma estalactite (composta) de cerca de 25 m de altura e quase 20 metros de diâmetro, que pode ser considerada uma das mais expressivas do Brasil.

Buraco do Posidônio
Localiza-se a 17 km da sede, através de estrada de cascalho. Imensa cratera com aproximadamente 60 m de profundidade, cuja vegetação é misto de cerrado (no exterior) e árvores de grande porte como o cedro, no interior. Sua origem é atribuída a um abalo sísmico.

Ecoturismo

Parque Estadual de Morro do Chapéu
Criado em 1973 com objetivo de preservar o meio ambiente. No momento não está aberto à visitação.

APA – Gruta dos Brejões Vereda do Romão Gramacho
Primeira APA do Estado, criada em 13/11/85.

Centro de Pesquisa Ufológicos
Está localizado à margem da BA 053, junto à Estação Rodoviária. Sede do Circulo de Pesquisa Porto Cristal , dirigido pelo Sr. Alonso Valdi Régis. No local encontra-se réplica de um disco voador.

Pinturas Rupestres:
” Segundo Laming-Emperaire (in Prous 1991) a importância da arte rupestre está no fato desta constituir em um testemunho voluntário de sociedades já extintas, o qual foi executado, na maior parte, com significado próprio, muitas vezes ainda não compreendido, e sobre o qual muitas interpretações podem ser levantadas. Dentro dos possíveis significados, Pours (1991) aponta para o fato de que embora muitas hipóteses tenham sido elaboradas buscando explicar o significado das pinturas, sem considerá-las simples manifestações artísticas, todas carecem de fundamento suficiente. Independente das interpretações possíveis sobre a natureza das pinturas, os registros constituem fontes de informações importantes no conjunto de pesquisa arqueológica, onde são analisados, de forma equilibrada, nos diferentes aspectos do fenômeno humano, que incluem a biologia, a cultura e o meio ambiente”. Onde ficam – Serra Izabel Dias, Canabrava ( entre o povoado de Tareco e Cavalo Morto) – Serra do Ventura (à margem da Cachoeira) – Lagoa da Velha, (Brejões da Gruta) – Boqueirão do Brejo (Fazenda Sossego) – Serra do Bexiguento, Gurgulha, Retiro, Serra Branca, Boca da Madeira, Espinheiro, Palmeira, Jaboticaba, Salgado, Serra do Badeco, Gruta dos Brejões.

Lagedo Bordado
Situado na Fazenda Formosa às margens do rio Salitre a 44 km de Morro, são artes de um período ainda não identificado. Numa classificação leiga, são desenhos feitos em rocha, a partir de entalhe em alto e baixo relevo, onde também são encontradas formas e pegadas de animais da pré história.

Vila de Ventura
A partir de Morro do Chapéu pela BA 052 até a barragem do Angelim são 27km, em seguida dobrar a direita e percorrer 8km. Este local foi o maior centro produtor de diamante da região, possuindo 20.000 habitantes na década de 30. Hoje restam somente alguns sobrados e casas coloniais em ruínas, a pequena igreja, o calçamento original em pedra.

Parque Nossa Senhora da Soledade
Praça Camilo Calazans (centro) – Casas Senhoriais construídas pelo Cel. Francisco Dias Coelho, importante figura da história local, além de uma capela dedicada à Nossa Senhora da Soledade onde podemos contemplar imagem magnífica de Nossa Senhora com 2m de altura, presenteada por uma firma francesa, ao referido Coronel.

Paleontologia
Os interessados em paleontologia precisam visitar, em Ourolândia, a Toca dos Ossos, de onde já foram retirados mais de dez mil fósseis, inclusive da extinta preguiça gigante.

Morrão
Elevação situada a cerca de 8 km da cidade com uma altitude de 1.293 m. Visto do sul, tem forma de chapéu, daí a denominação do município. Neste local encontra-se uma grande variedade de bromélias e orquídeas.
Acontece:
Festa de Reis ou Festa da Lapinha
Em 6/1. Apresentação do “Bumba-meu-boi”.

Divino Espírito Santo (Pentecostes)
Data móvel. Festa religiosa com missa festiva e procissão, contando com a participação do Imperador, antecedido da Bandeira do Divino Espírito Santo.

Festa da Gruta ou Brejões ou Festa de Nossa Senhora dos Milagres
Em 15/8. Missa solene, procissão, forrós animados, apresentações de violeiros e de reisados.
Endereço: Brejões da Gruta

Nossa Senhora das Graças.
De 30/8 a 8/9. Festa tradicional em louvor à padroeira do município, com novena, missa solene e procissão.
Atrações:
Cachoeiras

Cachoeira do Ferro Doido
Situada a 18 km da sede, chega a alcançar no seu ponto mais alto 98m de altura; leva-se 2 horas para percorrer as três trilhas.

Cachoeira do Agreste
Formada pelo rio Jacuípe, depois que recebe as águas do rio Preto. A principal queda d’água tem aproximadamente 50 metros de altura, seguida de uma bacia que se precipita em um canal formando poços profundos, onde já se explorou diamantes. A trilha, de aproximadamente três quilômetros até a queda principal, margeia o rio, onde existem várias praias, pequenas quedas d’água e uma flora diversificada com pés gigantes de orquídeas de cerca de um metro de altura e plantas carnívoras, devoradoras de insetos. O acesso à cachoeira do Agreste fica a 17 quilômetros de Morro do Chapéu, pela BA-426, em trecho asfaltado. A partir daí, dobra-se à direita, em direção ao povoado de Flores, numa estrada secundária, por 8,5 quilômetros.

Cachoeira do Ventura
Localizada a 36 km da sede, possui 35m de altura e seu leito é formado de arenito. O passeio nesta cachoeira pode durar todo o dia.

Cachoeira Domingos Lopes
Formada pelo rio Jacuípe, fica a 26 km da sede e mais 13 km em estrada de cascalho. A cachoeira forma um belíssimo lago, ótimo para banho.

Fonte Termal do Tareco
Fica a 36 km da sede, sendo 29 km de asfalto. Possui duas fontes em forma de piscina, utilizadas para banho. Sua água apresenta PH8, de cor límpida e é muito indicada para o tratamento de doenças de pele. Existem no local fontes de água mineral destinadas ao consumo.

Grutas

Gruta dos Brejões
Maior atração natural de Morro do Chapéu, está situada a 186 km da sede na Serra das Araras. Sua entrada principal mede 123 m de altura, 60 m de largura e 7.800 m de comprimento; possuí inúmeros salões e é cortada pelo rio Jacaré. Segundo o Museu Geológico da Bahia, setor de espeleologia, em relação às maiores cavernas brasileiras, esta gruta é a 4ª maior do Estado e a 6ª do Brasil. Recomenda-se o passeio somente se for para passar a noite acampando, dentro ou fora da gruta, pois o local é distante, não possuindo hotéis ou pousadas nas proximidades.

Gruta da Boa Esperança
Localizada a 53 km ao sul de Morro do Chapéu, possui uma cavidade que é considerada especial devido à existência de um painel de pinturas rupestres. Um altar no centro denuncia atividades religiosas. O abrigo foi usado para sacrifícios humanos em décadas passadas, pois acreditava-se que, assim procedendo, pedras transformar-se-iam em ouro e diamante. A duração do passeio é de aproximadamente 4 horas, existindo um lago ótimo para um mergulho, dentro da gruta.

Gruta do Cristal
Acesso pela rodovia Morro do Chapéu – Bonito até o distrito de Arizona (Catuaba); estrada de cascalho para Cafarnaum, por 2 km; desvio à direita, por estrada secundária, por 1,5 km. Esta gruta abrange quatro cavidades denominadas Cristal I, Cristal II, Pé de Manga e Dolina (Buracão IV). A Gruta do Cristal I, possui 3.000m de extensão é a mais importante. A altura varia de 1 a mais de 30 m.

Gruta da Igrejinha
Localizada a aproximadamente 115 km da sede, pela BA-052. Acompanha o curso do rio Jacaré em rochas calcárias, com cerca de 45 m de altura e 300 m de extensão. Iluminação natural com alguns trechos em penumbra. Na entrada da gruta, o rio forma cristalinos limitados por pedras verticais. No interior da gruta existe uma estalactite (composta) de cerca de 25 m de altura e quase 20 metros de diâmetro, que pode ser considerada uma das mais expressivas do Brasil.

Buraco do Posidônio
Localiza-se a 17 km da sede, através de estrada de cascalho. Imensa cratera com aproximadamente 60 m de profundidade, cuja vegetação é misto de cerrado (no exterior) e árvores de grande porte como o cedro, no interior. Sua origem é atribuída a um abalo sísmico.

Ecoturismo

Parque Estadual de Morro do Chapéu
Criado em 1973 com objetivo de preservar o meio ambiente. No momento não está aberto à visitação.

APA – Gruta dos Brejões Vereda do Romão Gramacho
Primeira APA do Estado, criada em 13/11/85.

Centro de Pesquisa Ufológicos
Está localizado à margem da BA 053, junto à Estação Rodoviária. Sede do Circulo de Pesquisa Porto Cristal , dirigido pelo Sr. Alonso Valdi Régis. No local encontra-se réplica de um disco voador.

Pinturas Rupestres:
” Segundo Laming-Emperaire (in Prous 1991) a importância da arte rupestre está no fato desta constituir em um testemunho voluntário de sociedades já extintas, o qual foi executado, na maior parte, com significado próprio, muitas vezes ainda não compreendido, e sobre o qual muitas interpretações podem ser levantadas. Dentro dos possíveis significados, Pours (1991) aponta para o fato de que embora muitas hipóteses tenham sido elaboradas buscando explicar o significado das pinturas, sem considerá-las simples manifestações artísticas, todas carecem de fundamento suficiente. Independente das interpretações possíveis sobre a natureza das pinturas, os registros constituem fontes de informações importantes no conjunto de pesquisa arqueológica, onde são analisados, de forma equilibrada, nos diferentes aspectos do fenômeno humano, que incluem a biologia, a cultura e o meio ambiente”. Onde ficam – Serra Izabel Dias, Canabrava ( entre o povoado de Tareco e Cavalo Morto) – Serra do Ventura (à margem da Cachoeira) – Lagoa da Velha, (Brejões da Gruta) – Boqueirão do Brejo (Fazenda Sossego) – Serra do Bexiguento, Gurgulha, Retiro, Serra Branca, Boca da Madeira, Espinheiro, Palmeira, Jaboticaba, Salgado, Serra do Badeco, Gruta dos Brejões.

Lagedo Bordado
Situado na Fazenda Formosa às margens do rio Salitre a 44 km de Morro, são artes de um período ainda não identificado. Numa classificação leiga, são desenhos feitos em rocha, a partir de entalhe em alto e baixo relevo, onde também são encontradas formas e pegadas de animais da pré história.

Vila de Ventura
A partir de Morro do Chapéu pela BA 052 até a barragem do Angelim são 27km, em seguida dobrar a direita e percorrer 8km. Este local foi o maior centro produtor de diamante da região, possuindo 20.000 habitantes na década de 30. Hoje restam somente alguns sobrados e casas coloniais em ruínas, a pequena igreja, o calçamento original em pedra.

Parque Nossa Senhora da Soledade
Praça Camilo Calazans (centro) – Casas Senhoriais construídas pelo Cel. Francisco Dias Coelho, importante figura da história local, além de uma capela dedicada à Nossa Senhora da Soledade onde podemos contemplar imagem magnífica de Nossa Senhora com 2m de altura, presenteada por uma firma francesa, ao referido Coronel.

Paleontologia
Os interessados em paleontologia precisam visitar, em Ourolândia, a Toca dos Ossos, de onde já foram retirados mais de dez mil fósseis, inclusive da extinta preguiça gigante.

Morrão
Elevação situada a cerca de 8 km da cidade com uma altitude de 1.293 m. Visto do sul, tem forma de chapéu, daí a denominação do município. Neste local encontra-se uma grande variedade de bromélias e orquídeas.

Canoing e Rapel

Cascading
Pontos muito procurados para praticar o cascading são a cachoeira do Ferro Doido, com 90 m de altura, em Morro do Chapéu, as cachoeiras Véu de Noiva, com 70 m e do Piancó, com 45 m, em Jacobina, a cachoeira Payayás, com 45 m, em Saúde, a cachoeira das Moendas, com 70 m, em Ituaçu, a cachoeira do rio Brumado, com 300 m, em Rio de Contas e o poço do Diabo, no rio Mucugezinho, com 20 m de altura, que é o local perfeito para os iniciantes.

Rapel na Gruta dos Brejões
Os adeptos de aventuras radicais têm na gruta dos Brejões um cenário perfeito para a prática de rapel – descida em cordas especialmente na entrada da caverna, que mede 123 metros de altura, ou nas clarabóias existentes.

Rios

Os Rios de Morro do Chapéu
Os rios que nascem e /ou cortam o município do Morro do Chapéu fazem parte das bacias do São Francisco e do Paraguaçu, sendo o Jacuípe o rio perene mais importante, que nasce no povoado de Bangüês.
Ao lado deste, os rios Preto, Ventura, Ferro Doido, Salitre, Jacaré, Bonito e Tijuco promovem um verdadeiro festival de águas na forma de poços e cachoeiras. As do Ferro Doido e do Agreste ficam no Parque e Reserva de Morro do Chapéu, criado pelo governo do Estado em 1973, por sugestão do paisagista Burle Marx, como forma de preservar a fauna e a flora nativas, especialmente as orquídeas e os colibris dourados.